sábado, 16 de janeiro de 2016

Calendário indiano vaishnava Hare Krishna ISKCON


Você pode ver o calendário para muitas outras cidades e para diferentes anos aqui: Calendário Vaishnava.

Devotos de Krishna comemoram muitas datas importantes Vaishnavas mundo afora, honrando o aparecimento e desaparecimento de santos e encarnações de Krishna. O aniversário de Krishna, por exemplo, é chamado de Janmastami e é marcado por grandes festivais.

Um tipo de jejum, chamado Ekadasi, é realizado duas vezes por ciclo lunar, no décimo-primeiro dia da lua cheia e no décimo-primeiro dia da lua nova. Nesses dias os devotos dedicam um tempo adicional a leitura das escrituras, ao cantar do mantra Hare Krishna e à adoração do Senhor. Eles simplificam suas refeições ao abster de comer grãos e leguminosas nesses dias.

As datas sagradas do calendário Vaishnava são baseadas no calendário lunar, o que significa que as datas variam de acordo com o local. Às vezes, por exemplo, o Ekadasi no Rio de Janeiro acontecerá um dia antes do Ekadasi em Lisboa.
Leia Mais ››

Sobre:

Diário pessoal online, Hare Krishna, personalizado,  em formato de Blog e aberto para quem quiser ler.

Todos os arquivos contidos no diário são extraídos da internet em suas diversas modalidades: e-mail, fóruns, redes sociais, etc. Todo artigo, trabalho ou notícia comentanda é de responsabilidade dos autores ou fonte e traduz a opinião do respectivo autor ou da instituição que representa, não sendo necessariamente minha opinião pessoal. Ao copiar qualquer postagem, mencionar as fontes e o link se possível.

Escrevo o meu diário Hare Krishna (DHK) na internet desde o ano de 2010. Sou de Belo Horizonte, Minas Gerais, Brazil. As postagens dos resumos de meu cotidiano são esporádicas. O diário fala sobre o Movimento Hare Krishna e assuntos correlatos.

"Livros são a base, Pureza é a força, Pregação é a essência e Utilidade é o princípio."
Prabhupada

"Seja o que é e contribua desta maneira!"
Sridhara Maharaja

"Nosso negócio principal é Sankirtana e distribuição de livros. Se Krishna nos dá um lugar melhor, então está tudo certo. Caso contrário, podemos permanecer em qualquer lugar não importa o inferno ou o céu, devemos propagar nosso Movimento de Sankirtana."
Prabhupada

Hare Kṛṣṇa Hare Hṛṣṇa
Kṛṣṇa Kṛṣṇa Hare Hare
Hare Rāma Hare Rāma
Rāma Rāma Hare Hare

 

हरे कृष्णा हरे कृष्णा
कृष्णा कृष्णा हरे हरे
हरे राम हरे राम
राम राम हरे हरे



O DHK é melhor visualizado no navegador  Mozilla, Chrome e similares.
Leia Mais ››

Aclamada biografia de George Harrison em português

 
Capa do livro edição brasileira
 
"Muitos artistas são conhecidos por terem tocado o coração das pessoas com sua música, mas poucos já conseguiram tocar a alma delas. Esse foi o presente de George, e sua história é descrita aqui com carinho e bom gosto. Um livro maravilhoso”.
− Mia Farrow (amada esposa de George Harrison)

Em outubro de 2015, no Brasil, a aclamada biografia de George Harrison foi lançada em português.

Uma das maiores estrelas da música popular de todos os tempos, George Harrison ganhou em português a biografia “Here Comes the Sun – A jornada espiritual e musical de George Harrison”, do premiado historiador e devoto Hare Krishna, Joshua M. Greene. O lançamento acontece neste mês de outubro, com a venda pelo site: sankirtanashop.com.br

O livro inclui histórias nunca antes publicadas de George com ícones da música, como Bob Dylan, Eric Clapton e Elvis Presley, além de descrições detalhadas de seus encontros e relacionamentos com emblemáticos líderes espirituais. Uma leitura essencial para todos, incluindo fãs dos Beatles e interessados no caminho espiritual. “Um elemento fundamental do legado dos Beatles nunca foi explorado antes, que é a busca espiritual de George Harrison. Até agora, ninguém havia explicado essa questão e o que ela significava pra ele”, comenta Greene. “Ele se tornou rico e famoso além da conta aos 23 anos e teve muitas experiências profundas nesse curto período. Sua vida foi compactada. Ele tinha tudo que valia a pena ter, já havia encontrado com todos que queria, mas teve uma inteligência inata para saber que ‘há algo mais na vida do que apenas curtir’”, acrescenta o autor.


Leia Mais ››

Relação entre Jesus e Krishna


Transcrição de uma entrevista feita em 1971, onde Prabhupada aborda vários dos pontos fundamentais da filosofia do Movimento Hare Krishna:

Entrevistador: Qual é a relação entre Cristo e Krishna?

Prabhupada: Isso é muito simples de entender. Cristo apresentou-se como filho de Deus. Não temos nenhuma objeção em aceitá-lo como filho de Deus.

Entrevistador: Na Bíblia, o senhor Jesus Cristo disse que a única forma de adorar a Deus é através dele.

Prabhupada: Sim, isso é verdade, pois a menos que você obtenha a associação de um devoto, não há possibilidade de realização divina.

Jesus Cristo era um devoto. Dessa forma, é preciso se associar com um devoto antes de realizar a Deus. Mas não é que Deus tenha apenas um devoto. Se Deus é ilimitado, existe um número ilimitado de devotos de Deus.

Esta é a verdadeira filosofia. Mas, com relação à filosofia que foi falada por Jesus Cristo, aquela sociedade era diferente da sociedade onde Krishna apareceu e falou. Krishna falou (o Bhagavad-Gita) a Arjuna, e Jesus Cristo falou a pessoas do deserto. Dessa forma, o status de vida e de entendimento dos discípulos era diferente.

O representante de Deus fala de acordo com as circunstâncias, de acordo com o local. E isso foi bom para as pessoas naquela época. Elas se reuniram em torno de Jesus Cristo.
Leia Mais ››

Jesus Cristo e Krishna

 

por Gaura Shakti Dasa do Blog/Revista Volta ao Supremo

A maioria das pessoas que é criada em alguma confissão cristã talvez se sinta inquieta ouvindo sobre Krishna. Quem é Krishna? Os ensinamentos dEle estão em contradição com a doutrina bíblica? Neste artigo, compara-se a essência dessas religiões hoje difundidas pelo mundo inteiro.

Krishna disse sobre Si mesmo: “Eu sou a fonte de todos os mundos materiais e espirituais. Tudo emana de Mim. Os sábios que conhecem isto perfeitamente ocupam-se a Meu serviço devocional e adoram-Me de todo o coração”. (Bhagavad-gita 10.8) Assim, se nós procuramos a causa primordial de tudo o que existe dentro deste mundo e fora dele, chegaremos a uma só pessoa. Essa pessoa é Deus. Não existe Deus cristão ou Deus hindu, porque Deus é um só. Ele é o Pai de todos os seres vivos, como Ele mesmo afirma: “Eu sou o pai que dá a semente”. (Bhagavad-gita 14.4) E, compreendendo isso, dedicamos a vida a servi-lO com todo o coração.

A Bíblia também confirma que Deus é a origem de tudo: “No princípio criou Deus os céus e a terra”. (Gênesis 1.1) Jesus explicou sobre si da seguinte maneira: “Vós me chamais Mestre e Senhor, e dizeis bem, porque eu o sou”. (João 13.13) Isso não contradiz a base do cristianismo: “Eu sou o caminho e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim”. (João 14.6), pois ele é caminho para o Deus Pai. Podemos compreender desta maneira que a missão de Jesus foi unir a humanidade com Deus.

O conhecimento referente a Deus não pode ser compreendido por meio de esforços pessoais, dado que Deus Se situa muito além do que nós podemos ver com os nossos sentidos ou imaginar com a mente. Em razão disso, para conhecê-lO, precisamos agradá-lO desenvolvendo amor por Ele. Sobre isso, Krishna diz: “Àqueles que estão constantemente devotados a Me servir com amor, Eu dou a compreensão pela qual eles podem vir a Mim”. (Bhagavad-gita 10.10) Semelhante declaração encontraremos na Bíblia: “Mas se alguém ama a Deus, esse é conhecido dele”. (I Coríntios 8.3)

Tal amor por Deus é o ponto principal de Bíblia: “Respondeu-lhe Jesus: Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. Este é o grande e primeiro mandamento”. (Mateus 22.37-38) E Krishna fala como agem as pessoas que O amam: “Ó filho de Pritha, aqueles que não se iludem, as grandes almas, estão sob a proteção da natureza divina. Eles se ocupam completamente em serviço devocional porque sabem que Eu sou a original e inexaurível Suprema Personalidade de Deus. Sempre cantando Minhas glórias, esforçando-se com muita determinação, prostrando-se diante de Mim, essas grandes almas adoram-Me perpetuamente com devoção”. (Bhagavad-gita 9.13-14)

Ninguém pode alcançar a autorrealização espiritual fabricando seu próprio processo, senão que o caminho da religião é enunciado diretamente pelo Senhor Supremo. Em todas as Escrituras, Ele fala sobre religião tanto quanto possa ser compreendido por um povo em particular sob circunstâncias específicas. A missão, contudo, é a mesma: conduzir as pessoas à consciência de Deus e à obediência aos princípios religiosos. Isso podemos ver lendo a Bíblia ou os Vedas. Os princípios religiosos parecem superiores ou inferiores conforme variem as circunstâncias. Por exemplo, num momento Deus permitiu sacrifícios de animais e, em outro momento, proibiu.

Isso pode ser visto na Bíblia, que ensina sobre a glorificação a Deus como o método de aproximar-se de Deus: “Ouve, povo Meu, e Eu falarei; ouve, ó Israel, e Eu te protestarei: Eu sou Deus, o teu Deus. Não te repreendo pelos teus sacrifícios, pois os teus holocaustos estão de contínuo perante Mim. Da tua casa não aceitarei novilho, nem bodes dos teus currais. Porque Meu é todo animal da selva, e o gado sobre milhares de outeiros. Conheço todas as aves dos montes, e tudo o que se move no campo é Meu. Se Eu tivesse fome, não te diria, pois Meu é o mundo e a sua plenitude. Comerei Eu carne de touros? Ou beberei sangue de bodes? Oferece a Deus por sacrifício ações de graças, e paga ao Altíssimo os teus votos; e invoca-Me no dia da angústia; Eu te livrarei, e tu Me glorificarás”. (Salmos 50.7-15)

E nos Vedas: “É em vão, nesta era, a prática de meditação, de sacrifício e de adoração no templo. Mediante o mero cantar do santo nome de Krishna – Hare Krishna, Hare Krishna, Krishna Krishna, Hare Hare/ Hare Rama, Hare Rama, Rama Rama, Hare Hare –, pode-se lograr perfeita autorreliazação”. (Vishnu-Purana 6.2.17) Em todas as Escrituras, confirma-se que devemos sempre nos lembrarmos sobre Deus em cada momento de nossas vidas. Mas há a recomendação de diferentes métodos para diferentes eras. O processo de meditação do yoga místico era possível em Satya-yuga, quando os homens viviam por muitos milhares de anos. Nesta época, todavia, quando a duração de vida é muito curta, não é possível executá-lo. Na era seguinte, Treta-yuga, o processo de autorrealização consistia em executar os vários sacrifícios ritualísticos recomendados nos Vedas. Isso pode ser visto nos Vedas e na Bíblia, que descrevem diferentes sacrifícios de animais. Em Dvapara-yuga, o processo era adoração no templo. Na era atual, o mesmo resultado pode ser atingido através do processo de glorificação a Krishna, a Suprema Personalidade de Deus.

“Por ele, pois, ofereçamos sempre a Deus sacrifício de louvor, isto é, o fruto dos lábios que confessam o seu nome. Mas não vos esqueçais de fazer o bem e de repartir com outros, porque com tais sacrifícios Deus se agrada”. (Hebreus 13.15-16)
Leia Mais ››

Hare Krishna e Jesus Cristo

 

JESUS É O REPRESENTANTE DE DEUS E HARI NAMA (SANTO NOME) É DEUS?

Conversa entre Prabhupada e um discípulo:

— Prabhupāda: Sim?

— Mahāpuruṣa: Prabhupāda, há alguma contradição, porque o Senhor Jesus Cristo e o Senhor Caitanya ambos apareceram em Kali-yuga, e o Senhor Jesus Cristo disse que "O único caminho para Deus é através de mim". "Basta acreditar em mim ou se render a mim", e o Senhor Caitanya ensinou que hari-nāma é o único caminho para a realização espiritual nesta era.

— Prabhupāda: Então, onde você encontra a diferença? Se o Senhor Jesus Cristo disse, "Através de mim", o que significa que ele é o representante de Deus e hari-nāma é Deus. Assim, ou através do representante de Deus ou através de Deus, é a mesma coisa. Não há diferença entre Deus e os representantes de Deus.

Mesmo nas relações do dia-a-dia, se eu envio algum representante e ele assina alguma coisa em meu nome, Eu tenho que aceitar isso porque ele é meu representante. Da mesma forma, Deus tem que ser abordado através de Deus ou através dos Seus representantes. É a mesma coisa. A diferença pode ser apenas de compreensão. Porque o Senhor Jesus Cristo falou para uma sociedade que estava não muito avançada. 

Assim você consegue entender porquê uma personalidade tão grande, uma pessoa consciente de Deus, foi crucificada. Basta ver a condição da sociedade. Em outras palavras, eles estavam em uma sociedade de baixo grau.

Assim, eles não foram capazes de compreender toda a filosofia de Deus. Isso é suficiente. "Deus criou". Basta considerar isso. Eles não eram tão inteligentes para entender como a criação ocorreu. Se eles fossem inteligentes, eles não teriam crucificado uma grande personalidade, tal como Jesus Cristo. Então nós temos que entender qual é a condição da sociedade.

Assim como no Corão é dito por Maomé que "A partir deste dia você não terá nenhuma relação sexual com sua mãe". Basta descobrir a condição da sociedade. Portanto, nós temos que ter em conta o tempo, as circunstâncias, a sociedade e, então, a pregação. Por isso, para sociedades como aquela, não é possível compreender coisas filosóficas elevadas, como é afirmado no Bhagavad-gītā.

Mas, o fato principal é que a autoridade é Deus, o que é aceito tanto na Bíblia quanto no Bhagavad-gītā. A Bíblia começa, "Deus é a autoridade suprema", e o Bhagavad-gītā conclui: "Renda-se". Onde está a diferença? A descrição está simplesmente representando o tempo, a sociedade, o lugar e as pessoas. Isso é tudo. Eles não são Arjuna. Entende? Assim, as coisas compreendidas por Arjuna não seriam compreendidas pelas pessoas que crucificaram o Senhor Jesus Cristo.

Você tem que estudar sob esta luz. A mesma coisa. Um dicionário, um dicionário de bolso, um dicionário de criança, e o dicionário, dicionário internacional. todos são dicionários, mas com valores diferentes. Aquele dicionário é destinado a uma classe de crianças, e esse dicionário é destinado a altos estudiosos. Mas você não pode dizer que qualquer um deles não é um dicionário. Você não pode dizer isso. Todos são dicionários.

Então, nós temos que levar em consideração o tempo, o lugar, as pessoas, tudo. Assim como o Senhor Buda, ele simplesmente disse que "Parem com esse absurdo de matar animais". Essa era a sua propaganda. Eles eram pessoas de tão baixa qualidade que sentiam prazer simplesmente por matar animais. Assim, com a finalidade de eleva-los, o Senhor Buda queria parar esse absurdo: "Por favor, parem de matar". Assim, de tempos em tempos um representante de Deus, ou Deus, vem para ensinar as pessoas em diferentes circunstâncias. 

Então, de acordo com as circunstâncias, pode haver alguma diferença na explicação. Mas, o fator principal continua a ser o mesmo. O Senhor Buda disse: "Tudo bem, não há Deus, mas você deve se render a mim". Então, onde está a diferença? Isso significa que a pessoa tem que aceitar a autoridade de Deus, por este ou aquele caminho.
Leia Mais ››